Associação quer regulamentação urgente da indústria da canábis

A Cannapress teve acesso, em primeira mão, ao Comunicado de Imprensa da Pró-Cânhamo, uma associação de produtores da planta Cannabis sativa L., que surgiu depois de várias semanas de indefinição sobre as normas que regularão a indústria da canábis, e consequentemente do cânhamo industrial. O Comunicado manifesta as preocupações dos produtores nacionais e reproduz-se aqui na íntegra.

“A Associação dos Produtores de Canábis – Pró Cânhamo (PROCAN) foi criada com o objetivo de representar os produtores de Cannabis Sativa L. em Portugal, contribuindo para o desenvolvimento e regulamentação da Indústria em Portugal.

À margem da Conferência Internacional da Política da Canábis, organizada posteriormente à reunião da “Comissão das Nações Unidas para Narcóticos e Drogas da ONU, UNCND”, em Viena, a PROCAN emite este comunicado, apoiado por todos os associados e colaboradores.

A PROCAN, reconhece como prioritária e determinante a necessidade de abordar a regulamentação do mercado multissectorial e nacional, de forma integrada e articulada entre todos os segmentos da indústria, através da participação dos seus agentes e organizações representativas, conjuntamente com as diversas entidades administrativas, reguladoras e autoridades governamentais.

Acreditamos que esta será uma das indústrias fundamentais para um futuro sustentável e resiliente, e que Portugal terá grandes benefícios ao tomar uma posição pioneira na sua legislação e regulamentação, considerando as suas especificidades e oportunidades socioeconómicas aliadas às condições edafoclimáticas e recursos endógenos do território nacional.

Com a intenção de colaborar em tudo que seja possível.

Abaixo assinam os representantes

Tiago Vasquez
Jose Maraver
Francisco Amaral
André Costa

Viena, 9 de Dezembro 2018″
_____________________________________________________________________________
Imagem de Destaque: Ricardo Rocha // Cannapress

Deixe uma resposta