Aurora torna-se no maior produtor de canábis do mundo

Numa jogada vista pela indústria como um takeover hostil, a empresa canadiana Aurora adquiriu finalmente a CanniMed Therapeutics por mais de mil milhões de dólares canadianos (cerca de 800 milhões de dólares). Esta aquisição torna a Aurora no maior produtor do mundo de canábis, suplantando a Canopy Growth Corporation.

A notícia foi avançada pelo website Marijuana.com, num artigo do jornalista John Hiltz, que incluiu uma visita guiada às infra-estruturas da Aurora Cannabis.

Se tivermos em conta que só no decorrer de Novembro de 2017 a Aurora declarou 3.1 milhões em vendas e mais de 500 milhões de dólares canadianos em dinheiro e títulos negociáveis, estes números demonstram o inquestionável espaço que a medicina de vertente canábica está a assumir, não só na sociedade canadiana, mas também um pouco por todo o mundo.

Uma acção anterior da Aurora para aquisição da CanniMed tinha sido rejeitada, mas o novo acordo — uma combinação de acções e dinheiro —, foi finalmente considerado satisfatório por ambas as partes. As relações entre as duas empresas tinham-se tornado bastante difíceis, com um processo de 735 milhões movido pela CanniMed contra a Aurora, por tentativa de takeover hostil. 2018 foi o ano que trouxe a mudança.

“Estamos muito satisfeitos por termos chegado a um acordo com a CanniMed nesta poderosa combinação estratégica, que estabelecerá a melhor companhia de canábis com operações em todo o Canadá e em todo o mundo”, disse Terry Booth, CEO da Aurora Cannabis.

Depois das notícias da compra/fusão Aurora-CanniMed terem sido lançadas, as acções da CanniMed subiram 23%, ficando a rondar 43.80 dólares canadianos. Antes da aquisição, a CanniMed encontrava-se em negociações para a compra do produtor licenciado Newstrike. Esse acordo ficou sem efeito e consequentemente as acções da Newstrike caíram para um valor de 1,44 dólares canadianos.

Um dos “grow-rooms” da Aurora, no Canadá.

Até aqui, a Canopy Growth Corporation era o maior produtor de canábis e permanece assim em termos de capacidade de produção, mas a compra da CanniMed pela Aurora confere-lhes um valor de mercado de 7.8 mil milhões de dólares americanos, tendo a Canopy um valor de 6.9 mil milhões.

Enquanto isso, nos Estados Unidos da América (EUA) continua a valsa entre a lei estadual e a federal. Perante uma indústria global em expansão cada vez mais rápida, os produtores canadianos mantêm uma postura mais pragmática e perante a prosperidade optam pela consolidação entre várias empresas de canábis. Foi esse o propósito da Aurora ao expandir ainda mais a sua capacidade de cultivo e atender à demanda insaciável do emergente mercado recreativo neste verão, uma vez que a lei canadiana se prepara para um upgrade que contempla sem tabus a utilização recreativa.

Por cá, estas perspectivas também se fazem sentir. O grupo canadiano Tilray instalou recentemente uma central de produção na zona de Cantanhede, um investimento de 20 milhões de euros com criação prevista de 100 postos de trabalho até 2020, tendo em vista abastecer o mercado europeu de canábis medicinal, que já se encontra regulado em cerca de 14 países.
_______________________________________________________________
Foto de destaque: Ricardo Rocha

Deixe uma resposta