Jornadas Farmacêuticas debatem “A Fronteira entre o Fármaco e a Droga”

O XIX Jornadas Farmacêuticas do Instituto Universitário de Ciências da Saúde (IUCS) do Porto vão incluir um debate sobre a Canábis Medicinal num painel dedicado ao tema “A Fronteira entre o Fármaco e a Droga: do Potencial Medicinal ao Comportamento Aditivo”.

As Conferências realizam-se no próximo dia 25 de Maio, na Alfândega do Porto e contam com vários oradores convidados para lançar a discussão sobre a Canábis Medicinal junto dos futuros profissionais de saúde em Portugal.

A Cannativa — Associação de Estudos sobre Canábis estará representada por Javier Pedraza, Médico de Medicina Geral e Familiar (MGF), experiente em tratamentos com Canábis e derivados, e pela Dra. Ana Rita Andrade, Médica Interna do último ano em MGF, paciente de Esclerose Múltipla aos 31 anos e utilizadora de canábis para fins terapêuticos.

Outros oradores, como Félix Carvalho, do  Laboratório de Toxicologia da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto, irão também ser ouvidos para tentar perceber qual a fronteira que separa o fármaco da droga, desde o seu potencial medicinal ao comportamento aditivo.

Canábis: Droga ou medicamento?
Cannabis Sativa L. entra no debate farmacológico por ser uma espécie que, além de fins terapêuticos, também pode ter síntese química, possibilitando o seu uso farmacêutico.

As propriedades e particularidades associadas à espécie Cannabis Sativa L. vêm da sua composição, que inclui centenas de canabinóides, terpenóides e flavonóides, e que fazem dela alvo de inúmeros estudos e ensaios clínicos e farmacológicos.

Apesar da evidência científica e dos consideráveis avanços na compreensão dos mecanismos de acção e potencial terapêutico de muitas das substâncias que compõem a canábis, ainda existem vários obstáculos ao seu uso, entre os quais as potenciais interacções com outros fármacos, a falta de acompanhamento médico ou a má administração do que existe por parte dos pacientes, para não falar dos legais.

Para o Departamento de Ciências Farmacêuticas do IUCS, presidido por Vítor Seabra, a formação dos futuros profissionais de saúde é crucial na segura aplicação destas terapias, por isso estará presente em ambas as sessões de abertura e encerramento das Conferências.

Deixamos o programa oficial:

Programa das XIX Jornadas de Ciências Farmacêuticas
do Instituto Universitário de Ciências da Saúde

24 de maio

— PAINEL I (Moderadores: Cláudia Ribeiro e José Carlos Andrade)

15h00 – Fármacos com origem vegetal: impactos na medicina moderna
Carlos Cavaleiro: Professor Auxiliar da Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra (FFUC)

16h30 – Saúde Mental, Hoje: Como se ganha e como se perde
Jaime Milheiro
Médico-Psiquiatra: Ex-Presidente do Conselho Nacional de Saúde Mental

25 de maio

— PAINEL II (Moderadores: Elizabeth Tiritan e Maribel Teixeira)

9h30 – Catinonas sintéticas (toxicidade, metabolómica e quiralidade): Experiência do laboratório de toxicologia da FFUP
Bárbara Silva e Ana Margarida Araújo: Laboratório de Toxicologia da Faculdade de Farmácia – UP

11h – Substâncias psicoactivas: uma conversa cruzada no parênquima cerebral
Teresa Summavielle: Addiction Biology Lab, I3S-IBMC and The Discoveries CTR, Porto Campus

11h45 – Utilização da canábis com objetivos terapêuticos em oncologia
Telma Costa: Serviço Oncologia Médica – Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho

— PAINEL III (Moderadores: Vítor Seabra e Francisco Silva)

14h45 – Utilização de Canábis para fins terapêuticos
Félix Carvalho: Laboratório de Toxicologia da FFUP. Associado UCIBIO-REQUIMTE.

Deixe uma resposta