Malta legaliza canábis para fins medicinais

Malta juntou-se ao crescente conjunto de países europeus que reconhecem em termos legais os benefícios medicinais da canábis.

As emendas à Lei de Dependência de Drogas (Drug Dependence Act), promulgadas pelo parlamento maltês no passado dia 23 de Março, conferem aos cidadãos daquela ilha europeia o acesso à canábis em formatos que não impliquem combustão e que estejam disponíveis em farmácias, mediante a apresentação de uma receita médica.

Antes disso, é ainda necessário um “cartão de controlo” aprovado por um Supervisor de Saúde Pública.

Apesar da legalização, a nova lei restringe as aplicações e a prescrição da canábis medicinal a pacientes com dor crónica, com problemas musculares derivados da doença Esclerose Múltipla e para o combate aos efeitos colaterais da quimioterapia. A utilização no combate a condições como glaucoma, epilepsia ou náusea, por exemplo, não foi reconhecida pelo governo de Malta.

Segundo o High Times, após a mudança legislativa, Malta já angariou um investimento de, pelo menos, 30 milhões de euros com a atracção de cinco novos projectos internacionais de produção de canábis, os quais deverão criar 185 novos empregos.
________________________________________________________
Foto: Grafismo de André Teixeira // Cannapress

Deixe uma resposta